quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Quais as características de um bom problema de investigação?

Um bom problema, que sirva efectivamente de ponto de partida para uma investigação, é aquele que contribuirá, aquando da sua resposta ou solução, para o avanço ou melhoria de práticas na área investigada, destacando-se pela sua pertinência. Por exemplo, se o facto de eu incidir a minha investigação sobre a questão da indisciplina na escola onde trabalho, equacionando e relacionando as diferentes variáveis envolvidas, contribuir para melhorar as práticas dos profissionais envolvidos ou o seu conhecimento sobre o fenómeno, então isto pode significar que o problema subjacente à minha investigação é um bom problema, pertinente e útil.

Simultaneamente, é também um bom problema aquele que ajude a colmatar falhas no paradigma (neste caso educacional) em que me situo, já que direcciona para a busca de soluções a médio e a longo prazo.

Tecnicamente, o problema deve poder ser trabalhado de modo imparcial, objectivo e realista, tendo em conta as limitações cronológicas e operativas do investigador, que deve perguntar-se a si próprio se o problema:

· é demasiado abrangente ou restritivo;

· passível de ser investigado;

· está relacionado com a área de interesse;

· já foi abordado de tal modo que pouco foi deixado para trabalhar ou investigar;

· pode ser abordado de diferentes perspectivas, o que pode alargar em demasia o âmbito da investigação ou, pelo contrário, torná-lo ainda mais interessante pela possibilidade de confronto entre diferentes teses.

Sem comentários:

Enviar um comentário